Life is simple in the moonlight
"Interessante quando acaba essa viagem onde não importa o destino. Num dia era o super-herói, noutro o caubói. Mergulhado em mentirinhas que acreditava, fascinado por belezas exageradas, mas uma hora aprendemos que os bolinhos não são realmente feitos de chuva."

Bruno Zanette (para o projeto Bernardo)

"Interessante quando acaba essa viagem onde não importa o destino. Num dia era o super-herói, noutro o caubói. Mergulhado em mentirinhas que acreditava, fascinado por belezas exageradas, mas uma hora aprendemos que os bolinhos não são realmente feitos de chuva."

Bruno Zanette (para o projeto Bernardo)

Ei, gosto muito do teu tumblr! Eu vi teu twitter, é de Porto Alegre né? Também sou do RS. :) Beijão.

Muito obrigado, continue visitando! Curto muito teu tumblr também, reblogo muito ele com meu tumblr de imagens. Sim, sou de Porto Alegre. Tu és daonde? Beijo.

Se lembra que eu estava na tua bagunça, minha bagunça? Perdido no meu mundo, teu mundo. Eu estava procurando sem saber o que, por meses e meses, sem nunca achar. Sem estrela-guia, sem placa, com nada. Eu demorei, mas eu achei o que era. Eu me achei.
Bruno Zanette
Que tal agora,
uma conversa amiga,
um papo embriagado,
um sorriso motivado?
Renê Müller (via heartshapedhandgrenade)
Fui acostumado minha vida toda a estar sozinho e tu veio, me mostrou o outro lado e se foi. Agora, minha vida está essa bagunça onde não acho nada.
Bruno Zanette
Posteridade. Dá até medo dessa palavra. O que será posterior ao agora? O que é posterior ao que foi ontem? E porque não repetimos (para a posteridade), aquilo que fizemos antes? Tô cheio de problemas, de erros de português, de rock inglês cantado por americano, cheio de eletrônicos do chinês, cheio de amigo chinelo com visto italiano.
Rodrigo Tavares (via adiosfotos)
Ainda me pergunto, para que te perdoar? Só para tentar ver um vestígio de felicidade onde não há mais?
Bruno Zanette (agosto/2011)
Nunca me permitirei a menosprezar o que se passou. Sei que um dia olharei para nossa foto e pensarei em como foi bom aquilo e, talvez, como aquilo poderia voltar. Sei que não terei mais, talvez nunca mais. Mas, hoje, penso que isso foi o melhor para mim. Tudo estava tão agonizante, tão perturbador. Desgastou-se através do tempo. Passaram-se os meses de amor e ficaram os dias de ressaca. Fecharam-se as cortinas para nós dois. Eu queria tudo de volta sim, mas desde o começo. Aquele começo há um ano, mas sei que isso é impossível, pelo menos por algum tempo. Tudo que tenho agora são nossas fotos. Relembro de nós, juntos, como um retrato antigo.

Bruno Zanette (agosto/2011)

Nunca me permitirei a menosprezar o que se passou. Sei que um dia olharei para nossa foto e pensarei em como foi bom aquilo e, talvez, como aquilo poderia voltar. Sei que não terei mais, talvez nunca mais. Mas, hoje, penso que isso foi o melhor para mim. Tudo estava tão agonizante, tão perturbador. Desgastou-se através do tempo. Passaram-se os meses de amor e ficaram os dias de ressaca. Fecharam-se as cortinas para nós dois. Eu queria tudo de volta sim, mas desde o começo. Aquele começo há um ano, mas sei que isso é impossível, pelo menos por algum tempo. Tudo que tenho agora são nossas fotos. Relembro de nós, juntos, como um retrato antigo.

Bruno Zanette (agosto/2011)

Teus textos são muito foda, parabéns. Me tornei visitante daqui em bem pouco tempo.

Valeu por ler meus textos, eu me dedico bastante pra deixar eles bons. E não pare de ler, espero que tu goste dos próximos também. :D

Sem nenhum aviso prévio, surge aquela situação. O coração bate quase quebrando as costelas. Os lábios ficam mais secos e mais ansiosos a cada segundo. E, na cabeça, ecoa aquela pergunta retórica: Por que não? Eu daria mil motivos para evitar o acontecimento, mas quero deixar meu orgulho para trás. Não custa tentar. Não me mostre o seu caminho. Vem andar comigo, vamos trilhar o nosso próprio.

Bruno Zanette